segunda-feira, 10 de outubro de 2016

ASSINATURA DO ACORDO

O Comando Nacional dos Bancários acaba de agendar com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) a assinatura da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) 2016/2018 para a próxima quinta-feira, 13 de outubro, às 16 horas no Hotel Maksoud, em São Paulo.
A antecipação da PLR e o abono serão pagos no dia 24 de outubro. 

A DIRETORIA

quarta-feira, 5 de outubro de 2016

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

quarta-feira, 29 de junho de 2016

18ª CONFERÊNCIA INTERESTADUAL

ATENÇÃO BANCÁRIOS

O Sindicato dos Bancários de Itaperuna e Região convida a todos os bancários de nossa base territorial, para participarem da 18ª Conferência Interestadual dos Trabalhadores do Ramo Financeiro, que será realizada em Nova Iguaçu/RJ, dia 02 de julho.
A conferência é aberta a todos os bancários. Aqueles que se interessarem em participar podem entrar em contato com o sindicato pelo telefone 3822-1043 ou por e-mail (bancariositaperuna@gmail.com) e dar seu nome até às 15 horas do dia 30 de junho, impreterivelmente.
O ônibus sairá de frente ao Edfício Rotary, Av. Cardoso Moreira nº 193, centro, Itaperuna às 23:59h do dia 1º de julho.


A DIRETORIA

segunda-feira, 20 de junho de 2016

sexta-feira, 13 de maio de 2016

CONSULTA - CAMPANHA NACIONAL DOS BANCÁRIOS 2016

Como já é de costume todos os anos, estamos enviando a CONSULTA — Campanha Nacional dos Bancários 2016, em encarte que segue junto a edição deste mês do nosso jornal (Gazeta Bancária).

Essa consulta é fundamental para podermos traçar nossas estratégias e elaborarmos nossas propostas que serão incluídas na Minuta de reivindicações que enviamos todos os anos aos banqueiros.
Aqueles que preferirem, podem  acessar nosso blog (bancariositaperuna.blogspot.com). Lá existe um link que direciona para essa mesma pesquisa, só que on-line, ou clique AQUI e vá direto para a pesquisa.


Pedimos a todos que participem da Consulta para podermos ter uma ideia ampla das demandas dos bancários de nossa região.

terça-feira, 12 de abril de 2016

Contraf-CUT solicita à Fenaban a vacinação contra o H1N1


Com o aumento dos casos registrados de gripe H1N1, a Contraf-CUT enviou à Fenaban ofício solicitando que todos os bancos ofereçam vacinação contra a doença a seus funcionários e também aos terceirizados que atuam nos mesmos locais de trabalho. A característica das agências e escritórios das empresas, que são fechados, facilita a transmissão e o contágio da doença e se torna uma preocupação a mais num momento em que a gripe faz vítimas fatais.
A Fetraf-RJ/ES  já havia enviado correspondência à direção da Contraf-CUT solicitando que a confederação reivindicasse a vacinação ao representante patronal. O texto do ofício, assinado pelo presidente da Federação, Nilton Damião Esperança, ressalta que “…até o momento, a vacina é o único instrumento eficaz de proteção contra o vírus H1N1 conhecido.”
Alguns bancos já adotaram esta medida preventiva, mas é necessário que toda a categoria bancária e os terceirizados que trabalham nos bancos sejam imunizados contra a H1N1.

A correspondência foi enviada à representação dos banqueiros na manhã desta segunda-feira.


ENCONTRO NACIONAL DOS FUNCIONÁRIOS DO SANTANDER

Durante dois dias, os participantes vão definir as reivindicações específicas dos funcionários do banco
O Encontro Nacional dos Funcionários do Santander acontece hoje (12) e na quarta-feira (13), no Hotel Boulevard São Luiz, no centro de São Paulo. Durante dois dias, 103 participantes vão definir as reivindicações específicas dos funcionários do banco, que constarão na minuta do aditivo à Convenção Coletiva de Trabalho a ser entregue ao banco durante as negociações da Campanha Nacional da categoria.
Neste ano, o encontro começa com uma análise da conjuntura nacional. O Dieese apresentará informações sobre PLR e PPRS e suas legislações. O que os bancários esperam da campanha também estará em debate, com a apresentação da consulta nacional.
Trabalhos em grupo discutirão planos de saúde e previdência privada, saúde do trabalhador, emprego e condições de trabalho, além do PPRS. Todos os quatro grupos também irão debater estratégia e plano de lutas.

A apresentação do trabalho de cada grupo ocorrerá no segundo dia, quando também serão definidos a pauta de reivindicações específicas, ações de luta e o calendário com as próximas atividades.

terça-feira, 5 de abril de 2016

Cade recomenda condicionalmente a aprovação de compra do HSBC pelo Bradesco

A Superintendência-Geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) recomendou ao Tribunal do órgão a aprovação da compra do HSBC Brasil pelo Bradesco, desde que os bancos assinem acordo em controle de concentrações proposto pelas instituições financeiras.
O órgão de defesa da concorrência já havia afirmado que o negócio era "complexo", apontando a necessidade de se analisar "de forma cuidadosa" eventual tendência de aumento de preços para os consumidores por conta do negócio.
"A Superintendência-Geral concluiu que o ato se insere em um mercado com evidências bastante claras de ausência de competição efetiva, com elevadas margens de lucro e baixa eficiência operacional, resultando em serviços mais caros e de menor qualidade para os consumidores, em um mercado com elevados custos de troca", disse a Superintendência-Geral em parecer, acrescentando que, embora a participação de mercado do HSBC Brasil seja baixa, a operação não poderia ser aprovada sem restrições.
Assim, a Superintendência optou por negociar com os bancos medidas "comportamentais que possam garantir maior nível de bem estar para os consumidores e promover algum incremento de competição no mercado", segundo o parecer.
O acordo para aprovação do negócio deve ser assinado entre o Cade e o Bradesco, tendo o HSBC como interveniente. Ele envolve medidas agrupadas em quatro eixos: comunicação e transparência, treinamentos dos servidores bancários, indicadores de qualidade dos serviços e compliance.
O Bradesco terá que comprometer-se a implementar 16 medidas para eliminar preocupações concorrenciais encontradas pelo Cade dentro desses quatro eixos.

A recomendação ao Tribunal do Cade foi publicada em despacho nesta segunda-feira no Diário Oficial da União, no qual a Superintendência-Geral também ofereceu impugnação do negócio ao Tribunal do órgão.

sexta-feira, 1 de abril de 2016

quarta-feira, 30 de março de 2016

BOLSA SOBE 0,62% PUXADA POR BANCOS, BB GANHA 3%

Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, fechou essa terça-feira (29) em alta de 0,62%, a 51.154,99 pontos. Esse foi o segundo avanço seguido da Bolsa. Na véspera, o índice havia subido 2,38%
Com isso, a Bovespa acumula alta de 19,54% no mês e de 18% no ano.
O desempenho de hoje foi puxado, principalmente, pelo resultado positivo de ações dos bancos. 
Bancos fecham em alta
Os bancos tiveram o segundo dia de avanço nesta sessão.
As ações do Banco do Brasil (BBAS3) ganharam 2,99%, a R$ 20,70. As ações do Bradesco (BBDC4) também subiram: 1,74%, a R$ 28,02.
As ações do Itaú Unibanco (ITUB4) terminaram o dia em alta de 0,60%, a R$ 31,95.
Petrobras sobe
As ações preferenciais da Petrobras (PETR4), que dão prioridade na distribuição de dividendos, subiram 0,59%, a R$ 8,49.
Já as ações ordinárias da Petrobras (PETR3), com direito a voto em assembleia, terminaram o dia estáveis, a R$ 10,63.

Os papéis foram influenciados pela queda nos preços do petróleo e pelo noticiário político. Nessa tarde, o PMDB oficializou o rompimento com o governo.

CADE DEVERÁ APROVAR COMPRA DO HSBC PELO BRADESCO

O Conselho Administrativo de Defesa Econômico (Cade) planeja aprovar a compra do banco HSBC pelo Bradesco por R$ 17,6 bilhões (US$ 5,2 bilhões) sem forçar a instituição brasileira a vender ativos.
A aprovação do acordo deve sair em maio, disseram que, o órgão regulador exigirá que o Bradesco aprimore o serviço oferecido aos clientes e mantenha os direitos do consumidor e as políticas tarifárias do HSBC, sediado em Londres.
O Cade se mostrou preocupado quanto à concentração do setor bancário brasileiro e da possível redução da competição gerada com a compra. O Bradesco firmou o acordo de aquisição com banco britânico em agosto na intenção de aprimorar seus ativos e rede de agências, além de ganhar espaço na disputa pelo mercado contra o Itaú Unibanco, maior banco da América Latina em valor de mercado.
Em fevereiro, o Cade ordenou que o HSBC informasse todas as ofertas recebidas pela unidade brasileira nos últimos dois anos, pedido que foi considerado incomum por um assessor de imprensa do órgão. Em janeiro, o Banco Central aprovou a transação.

No mesmo mês, o Bradesco e o Banco do Brasil abandonaram um plano de comprar uma participação na unidade brasileira da processadora de pagamentos Elavon, que atua no setor de cartões, após o Cade indicar que imporia restrições.

terça-feira, 8 de março de 2016

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016